Pular para o conteúdo principal

Hoje

O pai de Michael Jackson morreu?


O segredo do sucesso de muitas famílias está em alimentar, em sua prole - quanto maior melhor -, as melhores possibilidades de obter sucesso.
Eu não vi o "showneral" do astro. Entretanto, alguém comentou que os astros que por lá passaram para o último adeus ao rei, não cumprimentaram o pai do falecido. Por razões óbvias, alegou o público. Chicoteava o pobre menino para que fosse um artista disciplinado, impecável em todos os pontos de vista. E Michael o foi. Você dirá: o que se quer de alguém que cometeu tal brutalidade?
Quantos pais não enfiam seus filhos em academias, cursos de idiomas, escolinhas de futebol, etc. não só para ocuparem seu tempo, mas também para que ele tenha, no futuro, melhores chances. É diferente do pai do rei do pop, você dirá.
Pense na real condição econômica e cultural desse pai e de seus pares (os negros nos EUA) há cinquenta anos: segregação racial, limitações financeiras, incertezas. O único legado que esse pai tem é o de seus antepassados - chicoteados e humilhados, por vezes vítimas da KKK. Motivo: ser negro.
De positivo soava no ar os acorde dos músicos e cantores de jazz - Nat King Cole, Miles Davis, Herbie Hancock etcoetera como a grande marca no cenário americano embreagado com o sucesso do pós-guerra. Esses sons emergiam com uma vitalidade impressionante capaz de aproximar não só os negros, mas também os brancos para ouvir e aplaudi-los. Era uma das grandes chances que o jovem negro tinha: tornar-se pastor - batista, assembleiano -, ou tornar-se músico. Sair do Alabama, emigrar para Chicago como um reputado cantor ou músico.
Nat King Cole casou-se aos 17 anos "embora ainda nem tivesse completado 18 anos, ele se casou com Nadine Robinson, no meio da turnê, em Michigan. Ao chegar em Los Angeles, finalmente, decidiram ficar. Ali Nat poderia entrar no mercado musical pela porta da frente." O ano é o de 1937.
Não fique comovido. Esta não é a história oficial dos Joseph Jackson. É um apanhado de indícios históricos que nos ajuda a entender um pouco da história humana que se repete, ecoa na América do Norte, Europa, América do Sul...
Jesus disse, para aqueles "justos" que apedrajavam a mulher surpreendida em adultério: "atire a primeira pedra... O final da história todos nós conhecemos.
BlogBlogs.Com.Br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meu nome

Olá! Eu me chamo – quer dizer, não escolhi esse nome, assim como não me recordo de ter me chamado para ver se eu estava presente ou ausente, principalmente na sala de aula onde eu tinha (porque deram-me) um número. Contudo, gosto do nome que tenho.
Tendo desse modo dito quem sou, em outras palavras, porque tenho um sobrenome e um nome a associar-me como membro de um grupo de humanos, às vezes com as mesmas características, outras vezes gostaria que o dna do ISIS apontasse que aqueles caras... deixa pra lá! Pertencem à raça humana?
Já estudei em várias salas de aulas, com várias pessoas – algumas, em verdade bem poucas, morreram. Portanto, não sou tão avançado em idade: sou quase jovem. Não é bom? Vamos lá, seja sincero, afinal quem envelhece – o corpo – não está na moda.
Eu, quando não me chamam, gosto de ler livros, jornais, revistas [de tirinhas a assuntos de economia], gosto de música - erudita, étnica, rural, não objeto de consumo. Gosto do saber, do conhecimento construído. Quando…

Papel de padaria

Só estão conseguindo fazer esse barulho todo, esse tal de “Não vai ter copa!” porque a obra – as obras todas – é gigantesca tanto em sua execução quanto em seus desdobramentos.
Qual foi a grande obra dos encastelados nos grandes bancos, dos privativistas? Fizeram tudo silenciosamente… só para uns poucos… Isto é, quando fizeram. Pegue um papel de padaria e tente anotar.
Se a abertura da Copa fosse no Morumbi não traria os mesmos benefícios para a cidade de São Paulo, pois  é uma área com sua infraestrutura (cultural, viária e urbanística), ainda que necessite de ajustes, consolidada.
Quando há benefícios para a “ralé” da sociedade fazem barulho, [gritam, esperneiam] surgem defensores da moral e da ordem: “estão gastando o dinheiro dos nossos “himpostos”!
Hipócritas, preferem fazer “doações” e incluir a doméstica e seus filhos como dependentes do IR a vê-la inscrever seu filho/a no ENEM, Prouni ou pagar a prestação do Minha Casa Minha Vida.
Deixar de dizer a verdade ou deixa…